Área do Cliente
Selecione uma das opções:


 




BOLETIM INFORMATIVO
DEZEMBRO/ 2017 – Ano XXX

BANDEIRA VERDE

Devido à melhora no nível das barragens das hidrelétricas, e com a entrada em operação das usinas de Jirau e Santo Antônio, ambas no rio Madeira, e ainda a nova linha de transmissão de Belo Monte, serão utilizadas menos usinas térmicas, permitindo a aplicação da bandeira verde. Com isto, não haverá acréscimo nas faturas durante o mês de janeiro.

GERAÇÃO DISTRIBUIDA

O Brasil atingiu a marca histórica de 200 MW de potência instalada acumulada em sistemas de micro e minigeração distribuída, contando atualmente com 18.501 instalações. A fonte solar fotovoltaica lidera as instalações do país, totalizando 18.356 unidades.
Além da solar, também há pequenas centrais hidrelétricas (15,1 MW), usinas térmicas (23,3 MW) e eólicas (10,2 MW) operando em geração distribuída.

BATERIA

A maior bateria de íon-lítio do mundo (70 MW) foi conectada pela Tesla à rede de energia da Austrália, A bateria, que armazena energia proveniente de uma usina eólica, tem capacidade de fornecer energia para 30 mil domicílios por até uma hora no caso de um blecaute, mas deve ser também colocada em uso nos horários de pico para suprir a demanda.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BELO MONTE

Com dois meses de antecipação, o Consórcio Belo Monte Transmissora de Energia colocou em operação o primeiro Bipolo de Belo Monte.
Esta linha de transmissão, com 2.092 km de extensão, permite o escoamento da energia produzida na hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, para as cargas localizadas nos submercados do Sudeste e do centro-oeste.
A tecnologia com ultra-alta tensão de 800 kV, permite o transporte de energia a grandes distâncias com redução de perdas.

TARIFA BRANCA

A opção pela “tarifa branca” modalidade em que o custo da energia varia de acordo com o horário de consumo, estará disponível para parte dos consumidores brasileiros a partir de janeiro de 2018.
Manifestando a opção pela a tarifa branca, o consumidor pagará valores mais altos de tarifa nos horários de maior demanda por energia no sistema (entre 17 e 22 horas dos dias úteis). Por outro lado, o consumo fora deste horário se tornará mais barato.
Nesta primeira fase, a adesão poderá ser feita por consumidores da classe de baixa tensão com consumo médio mensal superior a 500 kWh. Este limite diminuirá para 250 kWh a partir de janeiro de 2019, e para consumidores  menores a partir de janeiro de 2020.